domingo, 23 de julho de 2017

evitar o outro

Partidos políticos justificam a necessidade de poder, muitas vezes, a partir de uma lógica preventiva. O poder não poder cair nas erradas mãos, naquelas de seus adversários políticos. O medo dos outros no poder redesenha a lógica política, instrumentaliza os eventos e interpretações. O que ocorre e o que se defende são cobertos pela análise da utilidade para uns e para outros. Elas se excluem. O bom para o outro é sempre ruim. Não importa se assim agir possa abrir inconsistências com plataformas ou valores tradicionais do grupo. A utilidade para uns e para outros está no topo da hierarquia das escolhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário