quinta-feira, 11 de maio de 2017

fraturas

A mudança é sempre parcial ou, ao menos, não plena. As alterações dos modos não determinam o desuso absoluto do modo superado. Um dos problemas que surge é o da persistência. Como valorar o certo ou errado dentro dos blocos fragmentados. Por exemplo, dentro da linha de secularização das sociedades, como valorar a permanência do pensamento religioso como guia da percepção de mundo? As mudanças tecnológicas são mais agudas pelo esgotamento das possibilidades de mercado do ultrapassado. Nos modos e nos comportamentos, entretanto, nem sempre há algo tão absoluto, para cortar a reprodução e a repetição do tradicional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário