quinta-feira, 25 de maio de 2017

agora

Nem sempre o urgente se confunde com o importante. Isso, claro, por certa perspectiva. Urgência quer dizer prioridade, o que é um critério de importância, esse do aspecto temporal. De todo modo, a prioridade pode não ter profundidade, ou seja, pode não tratar realmente dos grandes problemas. Ela passa a ser uma prejudicialidade, algo que necessita solução, para permitir o retorno da atenção aos grandes problemas. Há certa ansiedade com o urgente. Um dos problemas dele, o urgente, talvez mais importante que a questão da profundidade, é aquele da escolha. Em regra, o urgente não é escolhido, ele aparece. A urgência é uma certa falta de agência, a necessidade de focar no que surge, não no que se quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário